G-NetTrack (e outras interessantes Ferramentas) para Testes e Monitoração de Redes 2G-3G-4G GSM-UMTS-LTE

sexta-feira, 2 de agosto de 2013 09:31:00 Categories: Redes 2G-3G-4G
Rate this Content 3 Votes

Aqui no telecomHall você já sabe: estamos constantemente tentando encontrar as melhores dicas e práticas de Telecomunicações para simplesmente compartilhá-las com você. Como o próprio nome sugere (Hall das Telecomunicações) tentamos ser o local onde esses profissionais de Telecomunicações e TI encontrem auxílio para começar, ou mesmo para evoluir no desenvolvimento de suas tarefas diárias.

 

 

Dessa forma, hoje gostaríamos de apresentar a você que ainda não conhece um fantástico conjunto de soluções gratuitas, mas que com certeza terão utilidade para quem trabalha com GSM, UMTS e/ou LTE: vamos falar sobre o G-NetTrack (e diversos outros módulos no ‘pacote’), um aplicativo para dispositivos Android que provavelmente vai te surpreender pela qualidade e eficiência com que realiza diversos tipos de tarefas.

Então, vamos lá?


Onde tudo começou... XDA-Developers!

Antes de falar diretamente sobre o Aplicativo em si, vale a pena fazermos uma pequena introdução.

Se você é do ramo de programação de dispositivos móveis, com certeza já ouviu falar dos XDA Developers. Se não ouviu, vale a pena ficar sabendo: esta é uma das maiores comunidades online existentes, formada pelos melhores desenvolvedores de todos os tipos de softwares, sistemas operacionais e fabricantes de dispositivos móveis da atualidade.  O site principal ‘xda-developers.com’ tem foco principalmente em Windows Phone e Android (e outros similares como WebOS e Ubuntu Touch). Como outra ‘corrente’ de desenvolvimento, temos o site ‘iphone-developers.com’, praticamente um espelho do xda-developers, mas com foco no iOS do iPhone.

Nota: o nome XDA é proveniente do ‘XPDA’, ou um ‘PDA com Extra Features’ lançado pela O2.

Como dissemos, essa comunidade reúne os melhores profissionais da área. E há alguns anos atrás o membro ‘gyokov’, um dos participantes desse fórum, desenvolveu e disponibilizou um aplicativo para Windows Phone, como podemos ver aqui no post original do Fórum:

http://forum.xda-developers.com/showthread.php?t=833176

Um aplicativo razoavelmente simples para os dias atuais: ao clicar num botão ‘Start’ (1), o usuário conseguia ver o Cellid e o LAC da rede GSM, bem como a velocidade dessa rede.

 

Como todo bom desenvolvedor, gyokov continuou desenvolvendo o G-NetSpeed. Atualmente, temos disponível uma versão para Android, e com muito mais features: o G-NetTrack, como podemos ver no ‘lançamento oficial’ em outro post do XDA-Developers:

http://forum.xda-developers.com/showthread.php?t=1751074

 

Além do G-NetTrack, outras ferramentas ou soluções foram desenvolvidas, criando um sistema completo de análise e monitoramento que todo profissional que trabalha com redes 2G, 3G e 4G deve ter.

Então vamos prosseguir vendo algumas dessas ferramentas em ação. Todas elas podem ser encontradas no site do desenvolvedor: Gyokov Solutions.

 

G-NetTrack

Começamos pelo G-NetTrack, a solução mais completa para testes e monitoramento de qualidade e nas redes 2G, 3G e 4G.

Para começar a usar o programa, o primeiro passo como sempre, é acessar a página do Google Play, e fazer uma busca pelo mesmo (1). Continuar com a instalação padrão, e abrir.

 

 

Informações Gerais (Cell)

Quando você inicia o G-NetTrack aparece a tela principal abaixo.

 

As informações aqui são úteis para quem já trabalha na área, e portanto já conhece todos esses conceitos e medidas, dispensando maiores detalhamentos.

São informações diversas: MCC, MNC, LAC, RNC, Cellid, Type, RXLEV, RXQUAL, UL Bit Rate, Dl Bit Rate, Latitude, Longitude entre outros.

Nota: destaque aqui para o tempo em que a célula ficou como servidora. E os dados das células servidoras anteriores também ficam disponíveis numa tabela (incluindo o tempo em que o UE ficou em cada uma delas).

 

Vizinhas (Nei)

Continuando nas telas do aplicativo, clicamos no botão ‘Nei’ (1) e assim temos a informação da célula servidora (2) e também das neighbors (3).

 

Outras Informações (Info)

Vamos propositalmente aqui ‘pular’ a tela de Mapa, pois falaremos dela com mais detalhes em seguida. Então, na tela de ‘Info’ (1), como o próprio nome sugere, temos informações diversas, como vemos no exemplo a seguir.

 

De todas as informações disponíveis aqui, provavelmente a que merece destaque é a do IMSI, pois esse campo é usado para realizar ‘Call Trace’ nas BSC’s/RNC’s – ou seja, você pode obter e passar facilmente essa informação para quem estiver no escritório fazendo uma eventual monitoração paralela.

 

Modo Drive Test (Drive)

Uma funcionalidade muito interessante do aplicativo é que ele permite o modo ‘Drive’, ou seja, um modo com letras garrafais com as informações principais: Tecnologia (1), LAC (2), Cellid (3) e RXLEV (4).

 

É claro que não recomendamos que se utilize esse recurso quando você estiver dirigindo, mas essa tela grande é muito útil mesmo quando estamos parados em locais específicos . Você pode por exemplo colocar o aparelho no painel do veículo e continuar trabalhando em paralelo com o seu notebook.

 

Mapa (Map)

Mas sem dúvida, uma das melhores opções que temos é a visualização dos dados em um Mapa – botão ‘Map’ (1).

 

Clicando no Menu ‘DropDown’ (1), temos acesso a diversas medidas, como ‘LEVEL’ e ‘CELL’ (melhor servidora).

 

De acordo com a escolha, as informações do mapa são atualizadas.

 

Quando você clica no botão ‘Export’ (1), são gerados diversos arquivos em uma pasta (2), no local onde o G-NetTrack foi instalado (‘G-NetTrack_Logs’). Para cada um dos dados coletados (rxlev, snr, bestserver, etc...) é gerado um arquivo KML do Google Earth, além de um arquivo do tipo Texto com todas as informações para que você possa processar posteriormente (por exemplo no Mapinfo ou no próprio analisador de ‘Drive Test’ que veremos mais a seguir). Também é gerado um arquivo com os Eventos (Queda de Chamadas, Falhas, etc...).

 

Uma outra característica bem interessante desse aplicativo é a habilidade de salvar um snapshot da tela (2) apenas clicando no botão correspondente ‘Screenshot’ (1).

 

E o nosso Drive Test começa a ficar ainda mais interessante quando inserimos as informações de nossa rede. Cada célula é representada com uma seta, que de acordo com a tecnologia é mais grossa ou mais fina. Além disso, as setas são coloridas com cores relevantes – cada setor tem a mesma cor de quando está ativo e é plotado no mapa.

 

Observação: logo mais veremos como importar as informações básicas da nossa rede no aplicativo.

 

Outros Menus

Através do Menu Principal (1), temos acesso a diversas ‘Opções e Configurações’.

 

É aqui onde você Inicia (1), Pausa e Termina (2) as coletas. Também é aqui onde você pode ‘Sair do Aplicativo’  (3), e se desejar, ‘Desabilitar o Mapa e GPS’ (4). Também outros dois importantes Menus, que dão acesso a ‘Configurações’ (5) e ‘Mais Opções’ (6).

 

No menu ‘Configurações’, temos diversos ajustes que podem ser feitos. Um deles por exemplo é a definição de ranges e cores customizadas para suas coletas.

 

E uma fantástica função que o G-NetTrack possui é a capacidade de realizar uma Sequência de Chamadas de Voz e/ou Dados!

Ainda nesse menu ‘Configurações’, podemos fazer esses ajustes.

 

As Sequências de Chamadas de Voz ou Dados são configuradas através de cada um dos itens de acordo com o desejado. Por exemplo podemos digitar ‘qual o número a ser discado’ (1), ‘quantas vezes ele deve ser discado’ (2), e outros como a ‘duração da chamada’ e a ‘URL alvo’ (3), este último no caso de sequência de Dados.

 

Para iniciar a Sequência de Chamadas, após os dados terem sido configurados, acesse o Menu ‘Mais Opções’ como vimos anteriormente e escolha a sequência desejada, como por exemplo Voz (1) ou Dados (2).

 

De qualquer forma, a medida que você tiver explorado todas as funções mais comuns do G-NetTrack, pode fazer suas opções avançadas nesse menu.

Então vamos continuar, e ver como podemos inserir os dados de nossa rede no aplicativo.

 

Formato do CELLFILE - Importando Dados da sua Rede para o G-NetTrack

Você pode utilizar o G-NetTrack sem nenhuma customização ou outra ação além da instalação padrão, mas pelo menos a importação dos dados de sua rede é recomendada.

Para isso, basta criar um arquivo de Texto simples, delimitado por TAB, com as informações que o G-NetTrack precisa. Dica: você pode baixar esse arquivo de exemplo, na página principal do G-NetTrack, e simplesmente substituir com os dados de sua rede.

 

Observação: Pode ser que, dependendo da versão/atualização do aplicativo, mais campos sejam adicionados. Mas não se preocupe, se o dado faltante for novo, provavelmente a nova funcionalidade vai usar ‘valores padrão’. De qualquer forma, é sempre bom manter o arquivo o mais atualizado possível – tanto em número de campos, como os valores da rede.

A seguir, temos um relação de campos principais:

  • CELLNAME: o nome da célula (na verdade, você pode colocar outras informações adicionais aqui, como RNC e outras informações que achar relevante);
  • LAT: latitude no format decimal (e usando ponto);
  • LONG: longitude no format decimal (e usando ponto);
  • LAC: da célula;
  • CELLID: da célula;
  • AZIMUTH: da antena;
  • TECH: tecnologia (2G, 3G ou 4G);
  • NODE: depende da tecnologia.
    • Para 2G (GSM) deixe vazio;
    • Para 3G coloque a RNC (também pode ser deixado em branco de ‘LAC-CELLID’ for único;
    • Para 4G coloque a eNodeB ID (atenção aqui porque esse campo é requerido para 4G).

O procedimento para importação dos dados é bastante simples. Primeiro, salve esse arquivo (CELLFILE.TXT) no diretório ‘G_NetTrack_Logs/cellfile’, no mesmo local onde foi instalado o G-NetTrack.

Para vermos sites no mapa, no Menu ‘Configurações’ marque a opção de ‘Mostrar Sites’ (1). Veja que nesse caso o aplicativo precisa ser reiniciado – você deve sair e entrar novamente.

Nota: se você estiver em dúvida se o seu arquivo está correto, pode fazer uma verificação online, usando  aplicação que veremos na sequência (G-NetDiag).

 

 

Outras Soluções

Como se não bastassem todas as funcionalidades apresentadas sobre o G-NetTrack, temos também diversos outros ‘módulos’, ou soluções desenvolvidas para facilitar o trabalho com redes 2G-3G-4G. Vamos conhecer cada uma delas a seguir.

 

 

G-NetDiag

G-NetDiag é uma ferramenta para pós-processamento online dos dados que coletamos utilizando o G-NetTrack, aqueles logs que são exportados quando clicamos no botão ‘Export’. Basta clicar no botão ‘LOGFILE’ (1) e navegar até o arquivo de log coletado, e clicar no botão ‘CELLFILE’ (2), e apontar para o arquivo com os dados da rede no formato do G-NetTrack.

Os dados apresentados possuem uma grande riqueza de informações para todas as medidas coletadas como ‘LEVEL’ (3). E você pode dar ‘Play’ (4), ou mover ponto a ponto para ‘Frente’ (5) ou para trás’ (6), com as correspondentes visualizações no mapa.

 

Ainda: com um duplo clique em qualquer ponto do mapa, seja ele uma célula ou medida coletada, você vê as informações do mesmo em uma tabela.

 

Na parte inferior, temos um gráfico com a informação dos níveis (1) da célula servidora (2), e suas vizinhas (3).

 

G-NetLink

Uma solução mais voltada para Transmissão, o G-NetLink permite diversas análises entre dois pontos (A) e (B), como distância, perda no espaço livre, diagrama de Fresnel, etc.

Os dados podem ser vistos tanto no mapa, como em um gráfico coma as informações de alturas.

 

Utilizando uma interface gráfica (1), o usuário tem acesso a todas as edições e ações correspondentes nesse tipo de análise. Nota: é possível criar o ponto A e o ponto B navegando até o local desejado, e dando um duplo clique.

 

G-NetTilt

Uma outra solução útil permite a visualização (teórica) de cobertura de uma antena, de acordo com o tilt aplicado (e também outros itens como Altura e Azimute). Além da vista aérea (1) você pode ter uma visão através da antena (2).

 

Novamente, todos as edições e ações correspondentes estão disponíveis num menu lateral.

 

Ainda mais Soluções!

Poderíamos continuar enumerando aqui diversas outras soluções, como:

  • G-NetEarth: ferramenta para pós-processamento online como o G-NetDiag descrito mais acima, só que para Google Earth ao invés de Google Maps;
  • G-NetLook: ferramenta de Planejamento e Otimização de Rádio Frequência para visualização dos dados de célula, relações de neighbors e Performance KPI;
  • G-NetWorld: webservice para upload e compartilhamento de medidas de usuários G-NetTrack;
  • G-NetSpeed: medir velocidade de uplink/downlink da rede;
  • G-NetPing: estatísticas de ‘ping’ e ‘trace route’; entre outras.

 

 

Porém, acreditamos que já tenhamos atingido nosso objetivo hoje aqui, que era apresentar esse conjunto de soluções que sugerimos seja aproveitado por você para melhorar a sua produtividade em qualquer que seja a sua rede GSM, WCDMA e/ou LTE!

Nota: Se você desejar, pode testar online muitas das soluções mostradas acima: na página de cada uma dela, procure o link com essa finalidade, demonstração com dados de exemplo.

 

Hunter Updater - G-NetTrack

Você que já utiliza a suíte Hunter, já está acostumado com a automatização de tarefas. Nesse caso, criamos mais um módulo específico (bem simples) que cria o arquivo CELLFILE do G-NetTrack com o simples clique de um botão – buscando as informações necessárias de outros módulos com informações de nossa rede.

Por exemplo, com apenas um clique (1), o Módulo ‘Hunter Updater - G-NetTrack’ acessa as informações de outros módulos (2) com informações da rede (Parâmetros, Azimutes, etc...) e cria o arquivo no formato final (3).

 

Para você que não é usuário do Hunter,  idéia é sempre a mesma – reutilize dados de sua rede (busque as mesmas informações em locais únicos), e crie sua própria macro, por exemplo utilizando o Excel – assim você ganha tempo, já que não precisará sempre atualizar manualmente esses dados de saída. E assim facilitará o trabalho de atualização e distribuição entre os usuários desse arquivo.

 

 

Conclusão

Conhecemos hoje uma suíte com diversas soluções muito úteis para qualquer pessoa que esteja envolvida com redes GSM, UMTS ou LTE: o conjunto de soluções Gyokov, com destaque principal para o aplicativo G-NetTrack.

Embora seja um aplicativo gratuito, possui inúmeras soluções que não ficam devendo nada para os mais famosos programas pagos existentes para realizar essas mesmas funções, em diversas áreas como Coleta de Drive Test (inclusive com possibilidade de sequência de chamadas), Pós-Processamento, ‘Site Survey’, ‘Field Test’, Análise e Visualização dos Dados da Rede, Verificação de Enlaces de Transmissão (TX) entre diversos outros utilitários que tornam esse uma suíte do tipo ‘deve ter’ no trabalho de todo mundo.

As constantes atualizações do programa demonstram a dedicação do desenvolvedor, tornando o mesmo cada vez melhor, mais estável e mais confiável, e merecem a nossa recomendação (e agradecimento).

Como sempre, esperamos que tenham gostado, e até nosso próximo encontro!